Carta da Agua 2015

CARTA DA ÁGUA  2015.   ONG Mãe Natureza

Sou água.

Dependendo do ponto de vista, sou a substância mais comum, mais abundante e mais simples existente na natureza. Por essa singularidade, abreviaram meu nome: "H2O"  Dizem que sou importante, que foi de mim e por mim que surgiu a vida na terra. Das nascentes divinas, sempre corri límpida, livre. Sou eu que formo os oceanos, mares, rios, riachos, lagos. Ainda, para embelezar a natureza, alegrar a vida dos humanos, deixo-me cair em forma de cascatas e cachoeiras. Desde sempre, transformo terras estéreis em campos férteis, onde semeando, tudo faço brotar .Nas cidades dos humanos, deixo me levar por canos velhos e podres, que me impedem cumprir um dos meus mais valiosos atributos: saciar a sede dos homens. Esses, quando me possuem, não valorizam minha existência. Aí, se desesperam, almadiçoam à mim e a si mesmos pelo mal, pelo desperdício que incorrigivelmente praticam, sem pensar no amanhã. Quando falto, não sou eu a culpada. Invariavelmente é pelo descaso, pelos desmatamentos que aniquilam minhas nascentes, colocando em risco a  vida na terra. Entrego-me límpida aos homens ímpios, que me devolvem evacuada de suas entranhas, como se nunca mais precisassem de mim. Contudo, aqui estou. Não há paradoxo. Sempre existi e sempre existirei, nas mesmas proporções em que apareci, porem marcada, contaminada pelas mazelas humanas. Para finalizar, apenas me pergunto: "Será que se o Planeta Terra  chamasse  Água, cuidariam melhor de mim?" 

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *