Eco-Filhos: O desafio dos pais de uma geração mais consciente.

A presença das discussões sobre meio ambiente e a educação ambiental cada vez maior na formação de crianças em idade escolar está fazendo surgir uma geração de cidadãos mais conscientes. Conteúdos elaborados para aulas específicas, cartilhas, apostilas e muitos outros materiais tem proporcionado um aprendizado e uma prática constante da conscientização ambiental nas escolas. Isso ocorre a olhos vistos. É só conversar um pouco com qualquer estudante e vamos constatar que o tema está na ponta da língua.

 

O que tem preocupado os educadores da área é o “terreno” que esses alunos encontram em casa. Os pais estariam preparados para receber e incentivar essa postura consciente dos filhos? Como eles tem reagido aos questionamentos dos filhos sobre seus hábitos em relação ao meio ambiente? O que fazer quando o filho ou filha chama a atenção do pai para a torneira aberta enquanto faz a barba? Ou mesmo a mãe que ainda não separa o lixo diário ou mesmo aquela  que despeja o óleo de cozinha na pia?
Essa é uma questão muito séria  para os educadores e é muito importante que pais e mães estejam atentos.
Entender que o tema da preservação ambiental é algo de extrema importância para a formação dos nossos filhos pode ser o primeiro passo para compartilharmos a experiência que eles estão vivendo. Acolher e estimular essa postura e compartilhar esses valores pode ser ainda mais gratificante para nós.
Como temos insistido que a mudança de hábito é um dos grandes desafios para a nossa geração, compartilhar o aprendizado de nossos filhos e ajudá-los a praticá-los no dia a dia, pode ser o maior estímulo para nos reeducar. Imagine você e seus filhos fazendo juntos, o trabalho de separação do lixo reciclável em sua casa. Ou mesmo programando o banho diário com tempo definido. Existem muitas oportunidades.
Importante salientar que concordar com mudanças em nossos hábitos e reconhecer que nossos filhos tem razão quando nos chamam a atenção , não significa abrir mão da autoridade paterna ou materna e pode ser ainda um saudável exercício diário do diálogo não apenas nessas questões mas para todas as outras áreas do nosso relacionamento como pais e filhos.
Fica o desafio para a nossa geração. Compreender e dar apoio àqueles que vão nos suceder na condução do nosso planeta. Se ainda não estamos prontos prá isso, nunca é tarde para aprender.
 
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *